segunda-feira, 14 de maio de 2012

História do Clube de Regatas Brasil - CRB

Clube de Regatas Brasil

É mais conhecido por CRB e carinhosamente chamado de Galo por sua vibrante e apaixonada torcida.
É o maior clube esportivo de Alagoas, sua sede encravada no belíssimo bairro da Pajuçara, que é um dos cartões postais da capital dos alagoanos.
O Futebol é a sua principal atividade. O seu maior patrimônio é a sua imensa e fiel torcida. Destaca-se também no Vôlei brasileiro, com hegemonia absoluta nos cenários feminino e masculino locais, tendo conquistado o maior feito em 1969, ao sagrar-se campeão sul-americano feminino em Santiago do Chile. O clube ainda possui títulos de basquete, futsal, handebol, entre outras modalidades esportivas.

O início de tudo

Sua história teve início no ano de 1911, com a fundação em Maceió, do Clube Alagoano de Regatas. A jóia para sócios era de mil réis e a mensalidade de quinhentos mil réis. Sua sede ficava situada na Rua do Comércio, 138. Apesar de se chamar Clube Alagoano de Regatas, não havia yoles, nem baleeiras, nem remadores. Possuía um punhado de bravos rapazes que desejavam criar um clube esportivo em Alagoas.

Entretanto, a pequena receita com jóias e mensalidades impedia o progresso do clube. Entre os seus fundadores estavam os jovens Lafaiete Pacheco, Antônio Bessa, Celso Coelho e Alexandre Nobre. Na tentativa de elevar a receita do clube, Lafaiete Pacheco tentou junto aos companheiros um aumento nas mensalidades, mas a idéia não foi aceita pela maioria. Dessa falta de entendimento, nasceu o CLUBE DE REGATAS BRASIL.

Como foi

Lafaiete Pacheco procurou Antônio Vianna e explicou sua idéia de criar um clube de regatas na praia de Pajuçara. Juntos convidaram outros sete rapazes e assim no dia 20 de setembro de 1912, na rua Jasmim, foi fundado o Clube de Regatas Brasil.

Ata de Fundação

Além de Lafaiete Pacheco e Antônio Vianna, assinaram a ata de fundação os seguintes desportistas: João Luiz Albuquerque, Waldomiro, Pedro Cláudio Duarte, Tenente Julião, Agostinho Monteiro, Francisco Azevedo Bahia e João Viana de Souza.

Ao remo

Os primeiros passos do clube foram dados na regata. Assim, através de Lafaiete Pacheco o CRB comprou, em Santos, por 200 mil réis sua primeira yole. Os sócios contribuíram com 100 mil réis e os outros 100 mil foram tomados emprestados. O dinheirofoi remetido através do Banco de Pernambuco e a yole chegou no navio Itapetinga. A primeira garagem foi no quintal da casa de Antônio Vianna.

Os treinamentos eram realizados no trajeto marítimo da Ponta Verde para Pajuçara. A compra do oito com patrão sensibilizou os desportistas maceioenses e logo conseguiram novos associados como Domingos Souza, Francisco Quintela, Pedro Lima, Homero Viegas, Eduardo Silveira e mais alguns, que aos poucos, foram formando a grandeza do clube.

O futebol

Foi introduzido no clube de maneira totalmente natural. Antes e depois dos treinamentos para as regatas um grupo de atletas ficava batendo bola, os conhecidos “rachas”. Essa brincadeira foi tomando vulto e a partir daí surgiu a necessidade de um espaço próprio para a prática do futebol.

O Estádio

O local escolhido foi o mesmo onde hoje se encontra o Estádio Severiano Gomes Filho, o Estádio da Pajuçara. O terreno pertencia à Dona Maria Torres, que arrendou o terreno para o clube por 300 mil réis. Em 1917 começam as obras de construção do estádio. No dia 2 de maio, realiza em Maceió, seu primeiro jogo interestadual, contra o Flamengo de Recife. Em 1921 é inaugurado o primeiro lance de arquibancadas do estádio da Pajuçara, contra o Centro Sportivo de Peres, de Recife.

As Glórias

Foi o primeiro campeão de Alagoas em 1927, a partir daí começa uma trajetória de grandes conquistas e vitórias do Clube de Regatas Brasil. São 25 títulos estaduais. Em 1993 foi campeão do Torneio de Acesso a Série B e em 1994 é vice-campeão da Copa Nordeste.

Os ídolos

Estão entre seus maiores ídolos: Haroldo Zagallo (pai do jogador e técnico Zagallo), Miguel Rosas, Mourão, Canhoto, Pompéia, Silva, Joãozinho Paulista, César, Roberval Davino, Roberto Menezes, Arnaldo Lyra, Marquinhos Paraná, Kazú, Toni, Aloisio e Jadilson.

Presidente e Títulos

2004-2005 Celso Luiz Tenório Brandão
1999-2004 José Cabral da Rocha Barros (2002)
1998-1999 Wilton Antonio Figueiroa Lima
1995-1998 Walter Pitombo Laranjeiras
1994-1995 Flávio Gomes de Barros (1995)
1993-1994 Waldemar Correia da Silva (1993)
1992-1993 José Marcelo de Medeiros Rocha
1991-1992 Manoel Gomes de Barros (1992)
1990-1991 Paulo Roberto Magalhães Nunes
1989-1990 Walter Pitombo Laranjeiras
1988-1989 José Luiz Malta Argolo
1987-1988 Carlos Alberto Fernande Antunes
1985-1987 Waldemar Correia da Silva (1986 e 1985)
1984-1985 José de Medeiros Tavares
1982-1984 Oswaldo Gomes de Barros (1983)
1979-1982 José Otávio Moreira Filho
1977-1979 Afrânio Lages Filho (1979, 1978 e 1977)
1976-1977 José Santana de Melo (1976)
1975-1976 Luiz Gonzaga Mendes de Barros
1974-1975 Fernando Azevedo D’Aldeia
1973-1974 Cláudio Regis
1971-1973 Luiz Renato de Paiva Lima (1973 e 1972)
1970-1971 Oswaldo Gomes de Barros (1970)
1969-1970 Naftalli Edgar Setton (1969)
1968-1969 Divaldo Cavalcante Suruagy
1967-1968 Walter Pitombo Laranjeiras
1966-1967 Severiano Gomes Filho
1962-1966 Oswaldo Gomes de Barros (1964)
1958-1962 Severiano Gomes Filho (1961)
1957-1958 Aluizio Freitas Melro
1956-1957 Roberto Castro
1955-1956 Djalma Loureiro
1954-1955 Luís Duda Calado
1948-1954 Ulisses Marinho (1951 e 1950)
1947-1948 Gal. Mário de Carvalho Lima
1945-1947 Mauro Paiva
1944-1945 Paulo de Miranda Neto
1943-1944 Aristides Torres
1942-1943 Mauro Paiva
1941-1942 Jaques de Azevedo
1940-1941 Rui Palmeira (1940)
1939-1940 Mário Gomes de Barros (1939)
1937-1939 Mauro Paiva (1938 e 1937)
1936-1939 Fábio Araújo
1934-1936 Pedro Claudino Duarte
1933-1934 Emílio de Maya
1932-1933 Dalmário Souza
1931-1932 Ismael Acioli
1930-1931 Raul Brito
1929-1930 Pedro Oliveira Rocha (1930)
1928-1929 Juvêncio Lessa
1927-1928 Pedro Lima
1926-1927 Armando Melo (1927)
1925-1926 Pedro Oliveira Rocha
1920-1925 Raul Brito
1918-1920 Ismael Acioli
1917-1918 Pedro Lima
1915-1917 Homero Viegas
1914-1915 Casimiro Movilha
1913-1914 João Viana de Souza
1912-1913 Luís Toledo Pizza Sobrinho

Mascote
Pássaro Galo de Campina

Bandeira oficial

A bandeira do C.R.B. é formada por um retângulo branco com duas listras vermelhas que se cruzam no centro. No canto superior esquerdo existe o desenho de uma bóia salva-vidas com dois remos cruzados, fazendo uma referência ao início da história do CRB no remo, com a sigla do clube também na cor vermelha

Escudo

O escudo é formado por um emblema com fundo branco e orlado de vermelho. As duas listras vermelhas entrecruzadas na parte superior fazem referência à bandeira do clube. Na parte inferior as letras da sigla CRB possuem cor vermelha e acompanham o perfil do escudo.

Fonte: crbalagoas.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Carregando...
Brasileirão