domingo, 8 de julho de 2012

Fluminense 1 x 0 Flamengo - Fred desencanta no clássico e escreve seu nome na história

Tricolor bate o Rubro-Negro e segue na liderança do Brasileirão.
Valeu pela festa e pela celebração de uma rivalidade rica em craques e em momentos inesquecíveis. Mas o jogo deste domingo entre Fluminense e Flamengo, no Engenhão, que marcou os 100 anos do clássico, foi muito pobre e não vai ficar no rol das grandes partidas entre os rivais. A vitória por 1 a 0 do Flu foi conquistada pela melhor qualidade de seus jogadores e pelas deficiências rubro-negras. Thiago Neves deu o passe e Fred fez seu primeiro gol em um Fla-Flu, em seis participações, visto por quase 40 mil pessoas.
No mais, o duelo centenário, sob forte chuva, não passou do nível da mediocridade e não fosse pela data histórica não seria lembrado nem por torcedores nem por jogadores de lado a lado.
Antes de a bola rolar, a banda dos fuzileiros navais executou os hinos dos clubes. Craques aposentados e artistas fizeram uma breve preliminar - reduzida por causa do tempo ruim. Particularmente os flamenguistas devem ter ficado nostálgicos. Após verem Junior, Leandro, Adílio e outros reeditarem os anos áureos do clube, foram obrigados a assistir a Renato Abreu, Amaral, Magal e Diego Maurício.

Tricolor bem no jogo!
O Flu comemorou um triunfo, que além de especial pela celebração, o levou aos 18 pontos e o mantém firme nas primeiras posições da tabela. "Estava buscando esse gol há muito tempo e veio em boa hora. É muito especial para mim", disse o atacante Fred, que escreve seu nome na história do confronto.

Para os flamenguistas, 12 pontos, muito pouco de proveitoso se pôde observar. Um time que teve cerca de 60% de posse de bola, diante de um adversário que se fechou em busca do contra-ataque, não obrigou o goleiro Diego Cavalieri a nenhuma defesa difícil.

"Ficamos triste porque perdemos um jogo importante. Fomos melhor do que eles, mas eles souberam matar o jogo", comentou o garoto Mattheus, de 18 anos, e filho do ídolo rubro-negro Bebeto.

Jovens tentam!
Ele e Adryan, de 17, foram o que de esperança houve de tempos futuros melhores na Gávea. Eles entraram no segundo tempo e deram um pouco mais de força ofensiva ao time, em meio à aridez de talento do meio de campo rubro-negro.

Os jogadores do Flamengo entraram em campo com os nomes dos 11 titulares da primeira partida entre os clubes, em 1912. Os tricolores não fizeram a mesma homenagem. Foi com seus próprios nomes às costas que Thiago Neves e Fred combinaram para dar a vitória ao Flu. Aos 11 minutos, Neves cruzou rasante e o artilheiro desviou para as redes.

Com o Fluminense defensivo e buscando os contra-ataques, a primeira etapa não fez jus a jogos históricos que marcaram este primeiro século do Fla-Flu. E pouco mudou no segundo tempo.

Satisfeito com o placar, o Flu convidou o Fla a atacar. A estratégia funcionou dada a completa falta de lucidez e qualidade do rival. Bottinelli se esforçava como de hábito, mas parava na forte marcação.

Quando Adryan e Mattheus entraram, o Fla cresceu e intensificou a pressão. Adryan quase empatou em cabeçada que passou rente ao poste direito de Cavalieri, que ainda viu um outr cabeceio tocar na trave esquerda.

O bom público que compareceu ao Engenhão certamente desejaria um novo jogo para celebrar o clássico, pois este não trouxe emoções inesquecíveis. Quem sabe a reabertura do Maracanã, em fevereiro do ano que vem, não traga mais inspiração aos jogadores?

Fonte: Futebolinterior.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Carregando...
Brasileirão