domingo, 13 de janeiro de 2013

Viçosa sepulta Mestre Osório Tavares

Foi com homenagens e muita dor que Viçosa sepultou na manhã deste sábado, 12, o Mestre de Reisado Osório Tavares, património cultural de Alagoas, falecido às cinco horas de ontem.

Durante seu sepultamento O Reisado Virgem dos Pobres, dirigido por Mestre Expedito Tavares, filho de mestre Osório, homenageou o Mestre, dançando e cantando suas músicas, Viçosa do Nosso Brasil e Viçosa onde eu nasci. Mestre Naldo do Guerreiro Riacho Meio e o ex-prefeito Flaubert Torres com suas sanfonas e cantoria também homenagearam o Mestre. O sepultamento ocorreu no Cemitério Municipal Frei Cassiano de Camacho de Viçosa.

O prefeito de Viçosa, Flaubert Torres Filho decretou luto oficial de três dias. “Esta morte é para lastimarmos, Viçosa perde um grande homem, que contribuiu durante anos para a Cultura popular de nosso Município. É com muito pesar que assino este decreto, mas tenho um orgulho danado de todo o incentivo que ele deu a Viçosa. Ele se vai, mas deixa seus atos, sua cultura e todos os seus ensinamentos”. Disse o Prefeito.

Aos 90 anos Mestre Osório faleceu lúcido e deixa uma história de vida dedicada ao Reisado do Povoado Bananal de Viçosa, não é a toa que era o mestre de Reisado mais conhecido de Alagoas.Mestre Osório começou a dançar aos 8 anos de idade e herdou do pai, Terto Tavares, a paixão pelo folguedo. Paixão que foi transmitida aos filhos. Hoje, Mestre Expedito e o violeiro José, filhos do Mestre Osório são os responsáveis por manter viva esta tradição.

Mestre Osório tinha prazer em dançar, e em repassar os passos e peças de reisado para as pessoas. São dele as peças de Reisado: Viçosa do Nosso Brasil, e Viçosa onde eu Nasci, conhecidas e cantadas pelos alagoanos, principalmente viçosenses.

Quem também sente muito a perda de Mestre Osório é o Vice-prefeito de Viçosa e folclorista, Manoel dos Passos Vilela (chamado carinhosamente pelos viçosenses de Vô). “Conheço mestre Ozório há cinquenta anos, ele era amigo de meu pai Sinfrônio Vilela. Por sinal Mestre Osório foi se apresentar em São Paulo, no ano de 54, representando Alagoas e Viçosa no Quarto Centenário da Cidade paulistana; na época ele ainda não era Mestre, o Mestre era o Luiz de Gois, a apresentação dele foi organizada por meu pai e por José Aluízio Vilela. Depois de alguns anos por ser bom cantador e muito esperto, foi que o Osório Tavares se tornou mestre”.

Manoel dos Passos Vilela lembrou ainda de um momento em que ele montou um grupo de Reisado no antigo Colégio de Assembleia para o Mestre Osório ensinar aos alunos. “Foi no ano de 83, e esse grupo viajava e se apresentava em toda Alagoas, chegamos até a gravar um CD com as peças de mestre Osório”.

Há alguns anos a liderança do grupo foi passada de pai para filho. Mestre Expedito Tavares abraçou o folguedo com todo vigor, “foi encorajado por meu pai”. Conta.
Mestre Osório faleceu deixando a Esposa, Maria Belarmino da Silva, e uma família enorme, além do legado para todas as gerações de viçosenses apaixonados por folclore e pelo ReisadoVirgem dos Pobres, criado por ele.

Na cerimônia de sepultamento estavam presentes os amigos, parentes, o Patrimônio Cultural de Alagoas, Mestre Bia do Pífano, o Vice-prefeito Manoel dos Passos Vilela, a Secretária de Educação, Ana Paula Calazans, e a Secretária de Cultura e Turismo, Karina Padilha.

O mestre Expedito Tavares e a contramestra Cícera Leite de joelhos ao pé da sepultura do Mestre prometeram que não deixarão o Reisado da Viçosa acabar. “O senhor me pediu mestre, e eu e Expedito iremos cumprir, não deixaremos o Reisado de Viçosa acabar”.

Fonte: vicosa.al.gov.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Carregando...
Brasileirão