quinta-feira, 31 de dezembro de 2020

Do combate ao racismo à ‘Neymarpalooza’: Neymar tem 2020 de marcas históricas e afirmação, mas esbarra em polêmicas

O ano de 2020 teve novamente Neymar como figura central do esporte brasileiro. E isso não se limitou a seus feitos dentro dos gramados, com o craque ocupando lugar no noticiário do Brasil e do mundo até os últimos dias de dezembro.

Na temporada em que se consolidou como a referência do Paris Saint-Germain pela inédita final da Uefa Champions League, e que se tornou o segundo maior artilheiro da história da seleção brasileira, além de ter assumido papel firme com manifestações contra o racismo no futebol, o craque voltou a ter seu nome ligado a polêmicas fora das quatro linhas.

O ESPN.com.br separou uma lista com os principais momentos que resumem o 2020 do maior jogador de futebol brasileiro em atividade.

“Be patient é o c…”

Neymar retornou à França ainda no início de janeiro após um período de recesso no Brasil e chegou a ser elogiado pelo técnico Thomas Tuchel pela forma como se cuidou neste período.

Mas a primeira polêmica que teve o atacante como protagonista aconteceu logo em fevereiro.

Na partida em que homenageou a lenda do basquete Kobe Bryant, morto dias antes em um acidente de helicóptero nos Estados Unidos, Neymar bateu boca com o árbitro Jérôme Brisard e acabou advertido com um cartão amarelo. O motivo? Uma carretilha aplicada sobre o zagueiro Arnaud Souquet, ainda no primeiro tempo da goleada do PSG sobre o Montpellier por 5 a 0. No fim da partida, o brasileiro criticou a decisão.

“Jogo futebol, não falo p… nenhuma e tomo a p… do cartão amarelo”, disse Neymar.

“Be patient (seja paciente, em inglês)”, respondeu o quarto árbitro.

“Be patient é o c… vai se f…”, respondeu o brasileiro.


Festas da discórdia’ no PSG

Dias depois, Neymar esteve novamente no noticiário pela comemoração antecipada de seu aniversário. Mas o fato que ‘marcou’ esta celebração para os jornais franceses foi a ausência do técnico Thomas Tuchel e do diretor Leonardo entre os presentes na festa, que aconteceu em uma casa de eventos de Paris, contando com jogadores do PSG e celebridades.

Ao ser questionado sobre o evento, e se isso teria cansado os atletas que venceram o Nantes por 2 a 1 naquela mesma semana, o treinador alemão foi sincero.

“Sim, mas o que posso fazer? Se deixo de lado todos os jogadores que estiveram na noite, eu não tenho time. Nós não podemos pensar na festa, senão a gente não joga.”

Ainda em fevereiro, outra celebração que não caiu bem no Paris Saint-Germain foi a de Mauro Icardi. Também comemorando seu aniversário, o argentino reuniu o elenco em uma quinta-feira para festejar. Os vídeos que circularam nas redes sociais no dia seguinte, no entanto, geraram burburinho.

Empolgados durante uma dança, Neymar, Navas e Cavani pulavam sem camisa durante a festa, ocorrida dois dias depois da derrota da equipe para o Borussia Dortmund na Uefa Champions League.

“Fiquei surpreso ao ver esse vídeo [dos jogadores dançando]. Realmente surpreso. Conversamos sobre isso internamente. Isso tem que ficar dentro do clube. Mas, sim, isso foi discutido. Nós não estamos felizes com as imagens dessa festa. Conversamos internamente e é como isso vai ficar. Não vou parar de dar minha opinião ou minha sensação com esse elenco. Porém, não posso dar conselhos ao clube. Não é o meu papel”, disparou Tuchel.

‘Desfalque’ no Carnaval

Fevereiro não foi marcado apenas pelas festas no elenco do PSG. Vivendo momento decisivo àquela altura do ano dentro dos gramados, em meio às oitavas de final da Champions e da Ligue 1, Neymar usou as redes sociais para comunicar que seria um “desfalque” no carnaval do Brasil.

“É com uma imensa felicidade que estarei desfalcando o Carnaval de 2020. É isso mesmo. Dessa vez não terá polêmica”, disse o atacante, que em 2019 foi criticado por estar no país para a festa popular enquanto se recuperava de uma lesão no quinto metatarso do pé direito.

‘Anúncio’ no Barcelona

O mês de fevereiro foi realmente agitado para Neymar, principalmente após a conta do Barcelona no Twitter anunciar o brasileiro como reforço. Mas o ‘reforço’ não passou de uma invasão de hackers às redes do clube catalão.

O nome do brasileiro, entretanto, seguiu (e ainda permanece) ligado aos espanhóis, que são apontados como possível destino do atacante caso deixe a França.

Champions de provocação e ‘pai tá on’

2020 ficará para sempre marcado na carreira de Neymar por ter sido o momento de afirmação do atacante como protagonista do PSG na ida dos franceses pela primeira vez à decisão da Champions League. E tudo começou com uma rixa nas oitavas de final.

Após a derrota para o Borussia Dortmund por 2 a 1 no primeiro duelo das oitavas de final, o PSG venceu por 2 a 0 em casa, garantindo a classificação. O primeiro gol dos parisienses foi marcado pelo brasileiro, que repetiu a característica comemoração de gols feita por Erling Haaland, simulando uma medicação.

Ao fim do jogo, Neymar usou suas redes sociais para ‘mandar um recado’: “Paris é a nossa cidade, não a sua.”

Já sem torcedores nos estádios por conta da pandemia de COVID-19 e concentrados em Portugal, onde a Uefa organizou a reta final da Champions League, o PSG ainda superou as batalhas contra Atalanta e RB Leipzig, duas das sensações da competição, para jogar sua primeira decisão do torneio na história, tendo Neymar e Mbappé como protagonistas.

As partidas do PSG na competição, inclusive, chegaram a ser o assunto mais comentado em todo o mundo no Twitter com a hashtag #NeyDay. Foi na principal competição de clubes da Europa que o brasileiro eternizou a expressão “O pai tá on”.

Na grande final, em Lisboa, o sonho do título bateu na trave. Frente o todo poderoso Bayern de Munique, o Paris Saint-Germain acabou derrotado por 1 a 0, no confronto que vinha sendo apontado como decisivo para a escolha do melhor jogador do mundo de 2020, entre Neymar e Robert Lewandowski. Meses depois, o polonês ficou com o prêmio, enquanto o brasileiro não figurou sequer entre os finalistas.

Partiu, basquete?

Mesmo sendo decisivo pelo PSG na Champions League, ficar de fora dos finalistas do The Best, da Fifa, incomodou Neymar. Após o anúncio de que não figurava entre os três selecionados à disputa final pelo prêmio de melhor do mundo, o brasileiro usou as redes sociais para ironizar a decisão.

“Já que não deu certo no futebol, partiu basquete.”

“Já desisti do basquete. Virei GAMER”, seguiu o atacante.

Enquanto a Fifa anunciava Robert Lewandowski como vencedor em cerimônia quase virtual direto de Zurique, na Suíça, Neymar fazia uma live jogando CS:GO em uma rede social.

O brasileiro recebeu sete votos para a eleição do The Best, entre eles os de Lionel Messi, Thiago Silva, Tite e Gustavo Gómez, do Palmeiras.

Marcas históricas na seleção

Maior jogador de futebol brasileiro em atividade, Neymar teve um 2020 histórico com a camisa da seleção brasileira. Além de completar uma década de convocações para defender a equipe pentacampeã mundial, o jogador cravou ainda mais seu nome na galeria de grandes nomes do time nacional.

Com os três gols marcados diante do Peru, em Lima, ainda pela segunda rodada das eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022, o atacante superou Ronaldo Fenômeno e se tornou o segundo maior artilheiro da seleção, com 64 gols em jogos oficiais, atrás apenas de Pelé, que soma 77, segundo números da Fifa.

Campeão da Copa das Confederações de 2013, Neymar já disputou duas Copas do Mundo pela equipe canarinho (2014 e 2018). O atacante fez parte ainda do time que faturou a tão sonhada medalha de ouro no futebol nos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro.

Combate ao racismo e posição firme

Ainda recorrente no futebol mundial, o racismo fez parte do 2020 de Neymar, que se colocou em rota de colisão com o problema. Em setembro, o camisa 10 do PSG alegou ter recebido ofensas de cunho racial por parte do zagueiro espanhol Álvaro González, na derrota do time parisiense para o Olympique de Marselha.

Após acusar o defensor de racismo no primeiro tempo, o atacante voltou a bater boca com o rival na segunda etapa e acabou dando um tapa na cabeça do espanhol, que resultou no cartão vermelho dado pelo árbitro Jérôme Brisard (sim, o mesmo da polêmica com a carretilha contra o Montpellier).

“Único arrependimento que tenho é por não ter dado na cara desse babaca”, escreveu o brasileiro em uma rede social, complementando horas depois.

“VAR pegar a minha ‘agressão’ é mole…agora eu quero ver pegar a imagem do racista me chamando de ‘MONO HIJO DE P***’ (macaco filha da p**)… isso eu quero ver! E aí? CARRETILHA você me pune…CASCUDO sou expulso… e eles? E aí ?”

A Liga de Futebol Profissional da França (LFP) abriu investigação para apurar o caso. A comissão disciplinar da entidade puniu Neymar com dois jogos de suspensão pela expulsão na partida.

Dias depois do ocorrido, o presidente da Federação Francesa de Futebol (FFF), Noël Le Graët, tentou esfriar os ânimos em relação ao caso, mas com uma declaração que repercutiu mal no país. Em entrevista ao canal ‘RMC’, o cartola alegou que “racismo não existe no futebol”.

“Em um jogo, pode haver problemas. Mas temos menos de 1% de dificuldade hoje. Quando um negro marca um gol, todo o estádio aplaude”, disse. “O fenômeno do racismo no esporte, e no futebol em particular, não existe ou quase não existe.”

Em dezembro, novamente o racismo voltou a cruzar o caminho de Neymar dentro do futebol. Em partida da Champions contra o Istanbul Basaksehir, da Turquia, o craque foi um dos líderes no abandono de campo de jogadores do PSG após o camaronês Pierre Webó, da comissão técnica turca, acusar o romeno Sebastian Colţescu, quarto árbitro da partida, de ofensa racista.

Integrantes do banco de reservas do Istanbul reclamaram de um cartão amarelo que o brasileiro Rafael recebeu aos 13 minutos do primeiro tempo. Segundo o relatado dentro de campo, Colţescu usou palavras de cunho racista ao apontar Webó como quem deveria ser punido pelo árbitro Ovidiu Hategan por reclamar da advertência.

“Aquele negro ali. Vá lá e verifique quem é. Aquele negro ali. Não dá para agir assim”, teria dito Colţescu.

A revolta tomou conta dos jogadores da equipe turca. Um dos mais inconformados era o senegalês Demba Ba.

“Você nunca diz ‘esse cara branco’, você diz ‘esse cara’. Então por que você está mencionando ‘cara negro’? Você tem que dizer ‘esse cara negro’? Por quê?!”, disse o senegalês a Colţescu.

Como forma de protesto, os dois times deixaram o gramado, em manifestação que teve Neymar e Kylian Mbappé como figuras centrais. A partida foi adiada para o dia seguinte, sob o comando de uma nova equipe de arbitragem.

No último dia 21 o craque usou suas redes sociais para manifestar apoio ao volante Gerson, do Flamengo, que acusou o meia colombiano Ramírez, do Bahia, de injuria racial durante partida do Campeonato Brasileiro.

Fim do caso Najila Trindade

O ano de 2020 marcou para Neymar o encerramento de um dos capítulos mais conturbados de sua vida. Após longa investigação, a Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI), que é a divisão de crimes cibernéticos da Polícia do Estado do Rio de Janeiro, encerrou inquérito e arquivou a acusação de possível infração cibernética cometido pelo atleta.

Entre o fim de maio e o começo de junho de 2019, a modelo Najila Trindade acusou o jogador do PSG de estupro, além de uma outra denúncia pela divulgação na internet de um vídeo com imagens íntimas. O jogador já havia sido inocentado no processo de violência sexual após recomendação do Ministério Público por falta de provas.

‘Neymarpalooza’

Mesmo restando poucos dias para o fim de 2020, o último capítulo do ano de Neymar ainda rende críticas de diversas partes, dentro e fora do país. Segundo informação divulgada pelo colunista Ancelmo Góis, do jornal O Globo, o atacante do PSG, que passa o período de festas no Brasil, organizou uma festa de cinco dias em sua mansão no município de Mangaratiba, no Rio de Janeiro.

Apelidada nas redes sociais de ‘Neymarpalooza’, a comemoração contaria com mais de uma centena de convidados e apresentações de grupos musicais. A assessoria de imprensa do jogador, por outro lado, nega a existência da festa.

Apontada como organizadora do evento, a agência Fábrica confirmou estar à frente de uma realização privada em Mangaratiba, na região da Costa Verde, no Rio de Janeiro, mas não citou que Neymar seja o anfitrião.

“A agência Fábrica esclarece que é a idealizadora e produtora de evento de réveillon na região da Costa Verde, no Estado do Rio de Janeiro, que receberá aproximadamente 150 pessoas. A realização do evento se dá cumprindo todas as normas sanitárias determinadas pelos órgãos públicos. A empresa esclarece também que o evento privado, com acesso exclusivo para convidados e sem vendas de ingressos, acontece com todas as licenças dos órgãos competentes necessárias para a sua realização”, disse a empresa em nota oficial.

A festa tem sido alvo de fortes críticas nas redes sociais por acontecer no momento de novo crescimento dos números de mortos e infectados pela COVID-19 no Brasil.

O jogador passou no país do auge do contágio na Europa e retornou à França apenas três meses após passar por isolamento social no Rio de Janeiro. No período, o jogador apareceu em uma campanha aplaudindo profissionais de saúde de todo o mundo que combatiam nos hospitais a pandemia do novo coronavírus.

O 2020

Mesmo com fatos expressivos, 2020 marcou o ano que Neymar disputou menos jogos na carreira, em um calendário afetado pela paralisação do futebol em todo o mundo pela COVID-19. Sofrendo diversas vezes com lesões (um dos tornozelos e costela), o atacante entrou em campo apenas 29 vezes, somando partidas do PSG e da seleção brasileira.

O último compromisso do jogador no ano aconteceu em 13 de dezembro, quando a equipe de Paris acabou derrotada por 1 a 0 pelo rival Lyon, pelo Campeonato Francês.

Após uma dura entrada do brasileiro Thiago Mendes, o camisa 10 parisiense deixou o gramado com a ajuda da maca. Exames confirmaram que o jogador havia sofrido uma entorse no tornozelo esquerdo. A tendência é de que Neymar volte a treinar com o restante do elenco no início de janeiro de 2021. O contrato do brasileiro com o clube francês vai até junho de 2022.

Fonte: alagoas24horas.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Carregando...
Brasileirão

BRASILEIRÃO 2020 SÉRIE A